O TDAH na escola significa muito mais que um desafio para os professores, mas um aprendizado que educadores podem ter na função de lecionar.


É importante saber como os professores podem ajudar em casos de alunos que apresentam as características do transtorno. Depois dos pais, ninguém convive mais com as crianças e os adolescentes que a escola. Por conta disso, é imprescindível que haja total atenção aos pequenos estudantes, pois somente assim será possível detectar algum problema que esteja relacionado à aprendizagem ou aos relacionamentos com os colegas de sala.

O papel dos professores com alunos que têm TDAH

Quando o professor acompanha os alunos em seus progressos e dificuldades, fica muito mais fácil avaliar a situação dos estudantes. É bem provável que no caso de um menino ou menina com TDAH, o educador perceba algo que destoe do restante da turma. No entanto, há algumas diferenças entre garotos e garotas com TDAH.

– Meninos: eles costumam ser mais inquietos, além de não prestarem atenção às explicações dadas em sala de aula. Outra característica é que os meninos tendem a agitar mais os colegas pelo aspecto de inquietude.

– Meninas: embora elas sejam uma minoria entre as pessoas com TDAH, devemos salientar alguns traços de comportamento das meninas com esse transtorno. As garotas costumam ser mais quietas e distraídas. Elas não provocam agitação e ficam ‘no seu mundo’ desenhando, mexendo em algo que chame sua atenção ou simplesmente caladas no canto.

Nesses casos, o professor pode comunicar aos pais sobre o comportamento do (a) filho (a) e ajudá-los a procurar por acompanhamento especializado, como um terapeuta, por exemplo. É válido ressaltar que algumas escolas já disponibilizam uma flexibilização pedagógica que forneça parâmetros a fim de dar apoio ao aluno com TDAH, respeitando sempre sua condição.

O que o professor pode fazer caso ele desconfie da condição do aluno?

Caso o educador desconfie, baseado em algumas características, que o aluno tenha possibilidade de ter o TDAH, a primeira providência a ser tomada é avisar aos pais. Depois, os responsáveis pela criança ou adolescente precisam procurar ajuda especializada. O professor, então, deve mudar a apresentação dos conteúdos em sala de aula, de forma que atenda ao aluno com TDAH e a todo o restante da turma.

Como despertar a atenção do aluno com TDAH?

Certamente que não é uma tarefa fácil, mas não é impossível. Você, professor, pode incluí-lo nos exemplos de explicações. Sem que isso cause constrangimento, mas em situações em que a turma esteja inteirada. Outro detalhe é respeitar a vontade do aluno. Se ele não quiser participar, não insista.

Como dito anteriormente, existem escolas que dispõem de atendimento psicopedagógico. Essas instituições podem contar com o acompanhamento de profissionais que auxiliarão o estudante a uma vida acadêmica mais proveitosa, com o auxílio de medicamentos (estimulantes) receitados por outros especialistas.

O professor deve ser sempre o mediador

A importância do professor se dá, inclusive, como mediador entre os alunos. Sendo assim, é sempre bom ressaltar que o educador deve estar atento a todos os estudantes, principalmente com aqueles que não conseguem acompanhar o conteúdo dado em sala, seja por alguma dificuldade pedagógica ou pelo TDAH.
Não se esqueçam que a intervenção adequada para o TDAH envolve uma equipe multidisciplinar.

Fonte:https://neurosaber.com.br/como-tratar-o-diagnostico-de-tdah-na-escola/

http://redefacima.com/wp-content/uploads/2018/05/dsfwegfewgfw.pnghttp://redefacima.com/wp-content/uploads/2018/05/dsfwegfewgfw-150x150.pngElâniaPedagogiaO TDAH na escola significa muito mais que um desafio para os professores, mas um aprendizado que educadores podem ter na função de lecionar. É importante saber como os professores podem ajudar em casos de alunos que apresentam as características do transtorno. Depois dos pais, ninguém convive mais com as crianças...Rede  Facima